Ano novo, ansiedade velha: como iniciar o ano de forma mais leve?

Junto com o início do ano, vêm as metas, planos e a sensação de uma página em branco pronta para ser preenchida com coisas lindas. Porém, junto com esse sentimento de novidade, pode aparecer uma velha conhecida, a ansiedade. A psicóloga Nayra de Paiva Oliveira explica “a ansiedade não é ruim, é um sistema de proteção do seu corpo que avisa quando algo novo e diferente acontece. O problema é quando a ansiedade ocorre em excesso, isto acaba prejudicando a qualidade de vida”.

Começamos um novo ano, mas isto não quer dizer que as emoções, sentimentos e o que não foi trabalhado interiormente ficou para traz. “Em geral, se não foi resolvida alguma questão isto vai acumulando e impedindo de perceber soluções para os problemas, pois, a pessoa está tão confusa que não percebe suas possibilidades”, afirma Nayra. 

É importante traçar planos, metas, afinal todos temos sonhos e queremos realizá-los. Porém, a psicóloga enfatiza que, é preciso olhar para este planejamento não como algo punitivo, se achando um fracasso por não ter conseguido atingir um objetivo no ano que passou. “É preciso olhar com carinho e aceitação para o que não feito, não somos máquinas, não somos robôs, erramos, pensamos, modificamos e a partir do momento que eu olho para o que não consegui e sinto, está tudo bem não ter conseguido isto, afinal, consegui outras coisas, é possível visualizar melhor o que é possível fazer para alcançar os objetivos”, diz a psicóloga Nayra de Paiva Oliveira.

O primeiro mês do ano, é uma chamada para o cuidado com a saúde mental. E o primeiro passo para iniciar um ano mais leve, explica a psicóloga “é perceber que se a ansiedade está te prejudicando, é preciso tomar uma decisão para que essa ansiedade seja equilibrada e você possa viver melhor”. Pode parecer simples, mas para que este movimento aconteça, é necessário que ocorra a aceitação das emoções e sentimentos. Um recado da psicóloga: quando negamos e ignoramos o que sentimos, isto causa perturbação e leva ao adoecimento, quando reconhecemos e aceitamos o que sentimentos isto faz com que ocorra nosso desenvolvimento e crescimento.

Como iniciar este processo e ter um início de ano mais leve? A psicóloga Nayra apresenta algumas dicas:

  1. Responda estas três perguntas: a) o que a ansiedade quer me dizer? b) de onde a ansiedade está me movimentando a sair? c) o que está me impedindo de escolher aquilo que é melhor para mim? Estas três perguntas são a chave do início do processo de mudança!
  2. Separe momentos na semana para fazer algo que você gosta. Todo ser humano precisa de uma pausa, um intervalo. E não é uma pausa produtiva, é uma pausa real, para fazer uma atividade que te traz prazer, alegria. Se você não lembra mais o que você gosta, este é um sinal para relembrar, procurar algo que faz seus olhos brilhar.
  3. Cuide do seu corpo! Somos seres completos, para que a mente funcione bem, o corpo precisa estar em funcionamento. Alimentação saudável, exercícios físicos são essenciais. Não é necessário se sobrecarregar com as mudanças, escolha algo simples para começar, pode ser comer mais frutas, caminhar 15 minutos, o importante é dar o primeiro passo.
  4. Faça seu planejamento anual. Pode ser no papel, no computador, aplicativo, mas quando escrevemos fica mais real e concreto. Os planos podem ser divididos em simples, médios e complexos. Assim, conforme o ano vai passando, a chance de algo se realizar é maior vão se vem a sensação de realização. Lembre-se, o planejamento é um direcionamento e está tudo bem mudar!
  5. Não ignore os sinais. Se você não está se sentindo bem, muita ansiedade, muito medo, preocupação em excesso, é o momento de buscar soluções! Se você está perdido e não sabe para onde ir, procure um profissional para que ele caminhe com você e te mostre as possibilidades e assim você viva melhor!

Cuidar da saúde mental é cuidar da sua vida! É importante perceber o que não está bom e escolher por onde começar a mudança. É um processo, pode ser com passos pequenos, mas lembre-se: processos geram resultados, finaliza Nayra.